fbpx

Dúvidas? Entre em contato com nosso time!

Selecione e contrate agora a Senhor Contábil

HomeBlog Senhor ContábilTributárioDesenquadramento MEI: O que é, causas e como fazer? [Guia completo]

Desenquadramento MEI: O que é, causas e como fazer? [Guia completo]

Postagens recentes

Em busca de informações sobre o desenquadramento MEI? Então você veio ao lugar certo! 

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria de empresa com uma série de benefícios, como acesso à Previdência Social, facilidade na abertura e manutenção, além de isenção de impostos federais. 

No entanto, para permanecer nessa categoria, é necessário cumprir uma série de requisitos, que incluem limites de faturamento, e de contratação de funcionários.

Mas quando um MEI deixa de cumprir esses requisitos, ocorre o desenquadramento — um processo que pode ser automático, obrigatório ou opcional. 

Neste artigo, vamos abordar o que é o desenquadramento MEI, além de conferir as respostas para outras questões, como: 

  • Quais são as causas comuns do desenquadramento MEI?
  • Quais os tipos de desenquadramento?
  • Como fazer o processo de desenquadramento?
  • Quando o MEI é desenquadrado por faturamento?
  • Posso migrar de MEI para ME?
  • Como evitar o desenquadramento MEI involuntário?

Tudo pronto? Acompanhe a leitura! 

Desenquadramento MEI: O que é e o que significa na prática?

O desenquadramento MEI é o processo pelo qual um Microempreendedor Individual deixa de pertencer a essa categoria. 

Isso acontece por opção própria, ou quando o empreendedor deixa de cumprir os requisitos para a categoria, seja ultrapassando os limites de faturamento ou incorporando sócios, entre outros motivos. 

Nesses casos, o MEI desenquadrado pode optar por migrar para outra categoria de empresa, como a Microempresa (ME) – em que o limite de faturamento anual sobe para R$ 360 mil.

Na prática, isso significa que o negócio passa a ser tributado por regras fiscais diferentes, (mesmo que permanecendo no regime tributário Simples Nacional), e o empresário precisa cumprir novas obrigações tributárias, contábeis e previdenciárias que não se aplicavam enquanto era MEI. 

Tipos de desenquadramento MEI

Como vimos de forma introdutória, o desenquadramento da categoria pode ser de diferentes tipos: automático, obrigatório ou opcional. Cada um desses tipos tem causas específicas. 

Acompanhe: 

Desenquadramento automático

O desenquadramento automático ocorre quando o MEI deixa de cumprir um dos requisitos para a categoria. Nesse caso, o MEI é notificado pela Receita Federal sobre o desenquadramento.

As principais causas de desenquadramento automático são:

  • Excesso de receita (faturamento maior que R$ 81.000,00 ao ano);
  • Contratação de funcionários;
  • Exercício de atividade vedada.

Desenquadramento obrigatório

O desenquadramento obrigatório acontece quando o MEI deixa de cumprir uma das obrigações para a categoria. Nesse caso, o MEI também é notificado pela Receita Federal sobre o desenquadramento, e tem um prazo para regularizar a situação.

As principais causas para isso são:

  • Não pagamento de tributos;
  • Não entrega da Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI).

Desenquadramento opcional

O desenquadramento por opção, como o nome sugere, é quando o MEI opta por deixar a categoria, por vontade própria, o que acontece principalmente quando o negócio começa a crescer. 

É possível solicitar o desenquadramento a qualquer momento, desde que se cumpra todos os requisitos exigidos para a categoria.

Ainda nesse artigo vamos abordar como funciona o processo. Continue acompanhando!  

Causas comuns do desenquadramento MEI

Desenquadramento MEI causas

Considerando os tipos citados acima — automático, obrigatório ou voluntário — as causas mais comuns do desenquadramento do MEI são: 

  • ultrapassar o limite de faturamento anual;
  • contratar mais de um empregado ou pagar salário acima do permitido;
  • tornar-se sócio, administrador ou titular em outra empresa;
  • incluir atividades não permitidas para MEI​;
  • mudança de atividade econômica;
  • necessidade de contratar mais de um funcionário;
  • abrir uma filial. 

Processo de desenquadramento MEI: como fazer?

O desenquadramento é um processo bastante simples e que pode ser realizado online.

Para isso, o MEI deve acessar o Portal do Simples Nacional e seguir os passos a seguir:

  1. No Portal do Simples Nacional, Clique na opção “Comunicação de Desenquadramento do SIMEI”;
  2. Informe o CNPJ, CPF e Código de Acesso do MEI;
  3. Selecione o motivo do desenquadramento e a data em que ocorreu o fato gerador dessa mudança;
  4. Confirme a solicitação.

O que acontece quando o MEI é desenquadrado?

Quando o desenquadramento acontece, seja pela própria solicitação do empreendedor ou de forma automática, é muito comum surgir a dúvida “fui desenquadrado do MEI, e agora?”.

A verdade é que o novo cenário requer um pouco mais de dedicação, mas não é nenhum bicho de sete cabeças. 

O que acontece a partir daí é que o empreendedor passará a ser um empresário individual, enquadrado como microempresa e optante pelo simples nacional (ou Lucro Presumido ou Lucro Real).

Nesse novo cenário, ele deve passar por atualizações cadastrais, e precisa compreender as mudanças práticas no regime tributário e quais são as suas novas obrigações fiscais.

Além disso, será necessário registrar o negócio na Junta Comercial da cidade, e, dependendo do faturamento, poderá haver a necessidade de emitir nota fiscal para todas as operações e manter escrituração contábil.

Em todo esse processo, é importante contar com o apoio de uma gestão contábil especializada para garantir que tudo ocorra sem dores de cabeça. 

Quando o MEI é desenquadrado por faturamento?

O Microempreendedor Individual tem um teto de faturamento anual de R$ 81.000,00, certo? Mas se a receita ultrapassar esse limite, ele será desenquadrado. 

Entretanto, dependendo da quantidade de receita excedente, o desenquadramento acontece de duas formas diferentes. Entenda:

Quando exceder o faturamento, mas não ultrapassar 20%

Se o MEI exceder o limite de faturamento anual em até 20%, ele será desenquadrado a partir do ano subsequente ao ano em que o faturamento foi ultrapassado.

Por exemplo, se o faturamento do MEI em 2024 for de R$ 97.200,00, ele será desenquadrado a partir de 1º de janeiro de 2025.

Ou seja, ele pode permanecer durante o restante do ano como MEI, mas deverá pagar um DAS adicional referente ao excesso na receita. 

Quando exceder o faturamento acima de 20%

Quando o MEI é desenquadrado por exceder o faturamento acima de 20%, ocorre o que chamamos de desenquadramento de MEI retroativo.

Nesse caso, o MEI deixa de ser enquadrado na categoria desde o início do ano em que o teto foi excedido. Vejamos um exemplo:

Se em 2024 o faturamento alcançar R$ 100 mil, ultrapassando a margem de 20%, o desenquadramento terá efeito retroativo a partir de janeiro de 2024. Isto é, como se ao longo daquele ano você não tivesse atuado sob o enquadramento de MEI. 

Na prática, isso significa que o MEI terá que pagar os impostos retroativos, calculados sobre o valor do faturamento excedente, com adicional de multa e juros pelo atraso.

Além disso, terá que cumprir as seguintes obrigações a partir do mês do desenquadramento:

  • Emitir nota fiscal para todas as suas vendas, mesmo para pessoas físicas;
  • Pagar os tributos de acordo com o regime tributário escolhido, que pode ser o Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real;
  • Manter registros contábeis, como livros fiscais, balancetes e demonstrações financeiras.

Posso migrar de MEI para ME?

Sim! Se o seu negócio está crescendo e você precisa de novas possibilidades, a migração de MEI para ME é a melhor solução. 

Esse processo pode ser feito a qualquer momento, a critério do empreendedor. Para isso, o empreendedor deve seguir os seguintes passos:

  1. Solicitar o desenquadramento do MEI no Portal do Simples Nacional;
  2. Informar a Junta Comercial do Estado a mudança de MEI para ME;
  3. Atualizar os dados da empresa na Junta Comercial, Prefeitura e órgãos necessários de acordo com o seu município;
  4. Pagar os tributos e impostos referentes.

Entenda melhor como funciona o processo: Como migrar de MEI para ME: descubra em 4 passos como fazer

Como evitar o desenquadramento MEI involuntário?

Como fazer o desenquadramento MEI

Não tem outro jeito: para evitar o desenquadramento involuntário como MEI, é essencial monitorar o faturamento anual para não exceder o limite estabelecido

Também é importante se manter sempre atualizado com as atividades permitidas no regime e não adicionar sócios ao negócio. 

Observe também todas as obrigações legais, como pagamento de tributos e declarações pertinentes. 

Por fim, contar com serviços de contabilidade é uma das melhores formas de gerenciar todas essas questões, tendo uma orientação especializada e garantindo conformidade com as normas fiscais para evitar o desenquadramento não intencional.

Conte com a Senhor Contábil nesse processo

Se você é MEI e está próximo do limite de faturamento, não deixe o desenquadramento te pegar de surpresa

Conte com a Senhor Contábil para garantir a regularidade fiscal e tributária do seu negócio, desde o controle do faturamento até a migração para microempresa.

Nossos profissionais especializados te auxiliam em todas as fases do seu negócio, para que você possa se concentrar no que mais importa: crescer.

Deixe a contabilidade de cada fase do seu negócio com quem entende sobre o assunto: conte com a Senhor Contábil! 

Conclusão

O desenquadramento MEI é uma situação que pode ocorrer por diversos motivos, como o excesso de faturamento, a contratação de mais de um funcionário ou a prática de atividades não permitidas pela categoria.

Quando o MEI é desenquadrado, ele passa a ter as mesmas obrigações de uma empresa comum, como a emissão de nota fiscal para todas as vendas, o pagamento de tributos de acordo com o regime tributário escolhido e a manutenção de registros contábeis.

Para evitar o desenquadramento MEI involuntário, o empreendedor deve estar atento aos limites da categoria e cumprir todas as obrigações legais.

Quando opcional, a melhor escolha é contar com o apoio de uma gestão contábil especializada. Para isso, não se esqueça: conte com a Senhor Contábil!

Esse conteúdo foi útil? Compartilhe! Acesse o nosso blog e fique por dentro de outras informações importantes para você, empreendedor. 

Contabilidade online com preço justo

Fale com um especialista

Preencha as informações que em breve entraremos em contato com você.
Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.
Você prefere que o especialista te contate por:

Seja nosso parceiro

Preencha as informações que em breve entraremos em contato com você.
Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.

Fale conosco

Preencha as informações ao lado que em breve entraremos em contato com você.
Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.

Abrir minha empresa

Trocar meu contador

Migrar meu MEI para ME

Soluções para sua empresa